A glucosamina é uma molécula natural utilizada na biossíntese dos proteoglicanos que integram a matriz da cartilagem articular e o ácido hialurônico presente no líquido sinovial, atuando como precursora de unidades de dissacarídeos formadores dos glicoaminoglicanos. A suplementação de glicosamina estimula os condrócitos e aumenta a secreção de glicoaminoglicanos e proteoglicanos. Também estimula a produção do ácido hialurônico no líquido sinovial. Tem um papel importante na recuperação da degeneração cartilaginosa, através da substituição da matriz hialínica e interferindo na sua degradação. Como conseqüência, retarda a progressão da osteoartrite.

A glicosamina ganhou imensa popularidade devido à sua habilidade de lubrificar e ajudar na regeneração da cartilagem, ligamentos e tendões.

Na artrose o mecanismo responsável da falta de glicosamina envolve tanto a diminuição da permeabilidade da cápsula articular (devido ao processo inflamatório), como alterações enzimáticas nas células da membrana sinovial e da cartilagem (falha na conversão de glicose a glicosamina). O aporte exógeno de glicosamina na artrose estimula a produção de proteoglicanos, o trofismo das superfícies articulares, a síntese de ácido condroitinsulfônico além de favorecer a calcificação do osso. Estudos mostram que, para o tratamento específico dos sintomas da osteoartrite, o Sulfato de Glicosamina reduz especificamente a degradação estrutural da cartilagem.

Atua como agente antiinflamatório, estimulante da síntese de proteoglicanos, inibidor das enzimas responsáveis pela degradação dos condrócitos, promotor da lubrificação entre a membrana sinovial e a cartilagem.

Glucosamina está indicada no tratamento da artrose, primária ou secundária (dor e limitação do movimento); osteocondroartrose; espondilose; condromalácia patelar; periartrite escápulo-umeral; reumatismo articular; redução de lesões com rigidez articular e diminuição de mobilidade articular; protetor das cartilagens. Indicada também para o fortalecimento dos tecidos de conectividade (cartilagem, ligamentos e tendões), mantendo-os saudáveis e resistentes; regeneração de cartilagem danificada para reparar as funções da articulação e mobilidade, e ajudar na recuperação de lesões causadas por treinos intensos, exercícios repetitivos ou envelhecimento.

Os aspectos quantitativos de sua absorção são discutíveis; no entanto, estima-se que 90% da glucosamina, após a administração oral, é incorporada às proteínas do plasma e biotransformada no fígado, sendo distribuída rapidamente pelos tecidos, com tropismo pela cartilagem articular, excedendo neste local a sua concentração em relação ao plasma.

Além do efeito benéfico no aumento da disponibilidade dos precursores dos componentes da cartilagem, a glucosamina tem outros efeitos comprovados sobre a influência da expressão de mediadores inflamatórios, reduzindo a degradação de proteoglicanos, inibindo a síntese e atividade de mediadores como as metaloproteinases, óxido nítrico e prostaglandinas.

Dose sugerida: 1500mg ao dia. No início do tratamento, pode-se administrar 500mg duas vezes ao dia. Em casos mais graves, 500mg três vezes ao dia durante 8 semanas. Para manutenção, administrar 500mg duas vezes ao dia. Pode ser administrada sozinha ou associada com antiinflamatórios, além de relaxantes musculares. A Glicosamina pode agir de forma mais efetiva quando associada à vitamina C, ajudando o organismo a produzir e estabilizar colágeno saudável nos tecidos de conectividade.

Produtos Relacionados